Estou de volta, pra dar continuidade a história, e bem não começo com o enredo meu marido que é o contra regra do fato diz bem assim:
- Você não acha que essa história está comprida demais não?
Sujeitinho dos miolos de pote, desmancha prazeres esse aí viu!
Por pouco me tira do prumo e fico sem rumo pra contar a história.
Ah se minha avó estivesse aqui!

Mas vamos aos fatos! (Porque preciso acompanhar o que está acontecendo em Brasília)
E nesse vai e vem danado com pratinho de bolo pra aqui e pratinho de pudim pra la, a Zumira tinha a mania de ligar pra Dona Patolina pra pedir dinheiro emprestado e Dona Patolina parecendo uma pata choca dizia:
- Tu precisa de quanto?
- Mas, espie só!
E bem o telefone não voltava pro gancho o dinheiro já estava na conta da Zumira.
E nem sei informar se pagava ou não. Como vou saber?
E foi num belo dia que a Zumira veio com a história pra Dona Patolina dá emprego pra ela!
É bem verdade que a Zumira pra Dona Patolina tinha um cartaz danado! Era Deus no céu e Zumira na terra!
Pense numa pessoa eficiente!
Pensou? Era ela. A Zumira.
É a profissional mais competente que conheci na face da terra, dizia.
E as pessoas ficavam de boca aberta por ver tantas qualidades numa pessoa só!
Isso é que era um chaleramento com essa tal de Zumira, nunca ouvi falar!
De cara, a Dona Patolina respondeu: Deus me livre! Está doida? Não posso pagar teu salário.
Não senhora isso não.
É que a Zumira parecia que tinha tudo quanto é curso superior e Dona Patolina se achava pequena demais para tanto saber.
Não tinha emprego pra ela não.
E continuou insistindo:
Não mulher! Tu me paga o quanto tu puderes.
Deixa de ser besta! E eu macaca velha escaldada pensava: E como? Tem jeito, pra essa pata tonta? E a Zumira continuava com o seu miado: é só pra mim não ficar sem emprego.
E nesse chove não molha terminou a Dona Patolina dando o emprego pra Zumira.
- E o contra regra disse:
Conte essa história a prestação! História comprida demais cansa as vistas.
E Dona Patolina, mesmo parecendo uma barata tonta, começou a perceber que a Zumira tinha o olho maior que a testa.
A danada não cresceu, mas em compensação o olho se fosse possível medir deveria ter pra lá de 3 metros.
Pois não é que já estava querendo comandar a Dona Patolina? Cansei de ver ela resmungando pras paredes!
Esse pingo d'água está começando a esquentar minha moringa!
E volto logo com o resto!